seg/06/20
gestão financeira para pequenas empresas

4 conselhos de gestão financeira para pequenas empresas

Não há como negar que a gestão financeira para pequenas empresas é um dos pilares que sustentam o mundo dos microempreendedores. Mesmo assim, muitos deles dão mais atenção para a oferta de produtos ou serviços, ignorando uma parte que merece foco constante.

Entrou dinheiro? Então ele precisa ser organizado. Caso contrário, o negócio não poderá prosperar. Preparei 4 dicas importantes que ajudarão você a realizar uma boa gestão de finanças. Vamos lá?

1. Não misture o pessoal com o profissional

Posso dizer com tranquilidade que esse é um dos maiores erros de quem está começando. Pagar as despesas pessoais com os recursos financeiros da empresa é uma atitude amadora que só mostra despreparo.

Você pode até achar que vai cobrir depois, mas enquanto estiver nessa prática, prejudicará sua gestão. Além do impacto no controle das despesas, o empreendimento perderá cada vez mais força para aplicações em investimentos inteligentes. Uma boa dica é adotar um cartão de crédito corporativo.

2. Tenha na ponta do lápis todos custos do negócio

A gestão financeira para pequenas empresas está ligada ao controle dos custos e despesas. Portanto, vale a pena se dedicar para listar os custos que o empreendimento tem durante o ano.

Se for preciso, revire os gastos que envolvam notas fiscais, impostos, fornecedores, folha de pagamento de funcionários e materiais de trabalho. Ao entender essas despesas de forma transparente, você terá mais facilidade e eficiência no desenvolvimento de planos de ação.

3. Pague tudo o que puder online

Utilizar o computador ou smartphone para pagar contas já é uma prática comum para muitos brasileiros. Já pensou em levar isso para o seu negócio.

Os benefício são poderosos, como:

  • agilidade para resolução de pendências;
  • otimização do tempo;
  • ganho de produtividade;
  • redução de gastos com mão de obra (mandar um motoboy pagar contas ficou no passado);
  • redução de riscos com acidente de trabalho ou pagamento de seguro da moto, entre outros.

4. Saiba quando cortar custos e reduzir despesas

Um negócio viável financeiramente tem que lucrar, não é mesmo? Em busca disso, haverá vezes em que você vai identificar que o número de saídas no caixa é maior do que o de entradas. Alerta vermelho!

Se você bateu de frente com esse tipo de problema, já passou da hora de rever os custos e despesas. Saiba arrancar pela raiz tudo o que for desnecessário, e faça o possível para enxugar as despesas. Tudo o que não compromete as operações da empresa deverá ser imediatamente reavaliado.

5. Entenda que sobras ou faltas no caixa nem sempre indicam lucro ou prejuízo

É comum encontrar microempresários super animados com o suposto lucro do dia. Isso porque eles fecharam o dia com dinheiro a mais no caixa. Também já vi muitos que entram em desespero quando a situação é contrária, imaginando que o caixa negativo representa a queda da empresa.

A educação financeira diz que as coisas não são bem assim. Por isso é importante que você estude o máximo possível sobre fluxo de caixa.

Também não dá pra negar que ambas as situações apontam para a falta de planejamento quanto ao caixa. E mesmo que o faturamento diário tenha sido maior, a falta de atenção pode ser um mal sinal.

Uma boa dica para resolver esse problema é procurar um software capaz de planejar, registrar e acompanhar todo o processo.

Aproveitando que essa é a última dica sobre gestão financeira para pequenas empresas, que tal se aprofundar e conhecer um outro artigo exclusivo sobre o fluxo de caixa perfeito?

Facebook Comments

Sobre Osmar Lopes

Osmar Lopes
Osmar Lopes, atualmente CEO na empresa o Rei das Alianças, criou o blog O Sócio com o desejo de compartilhar experiências vitoriosas sobre como transformar um negócio praticamente falido em sucesso absoluto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *