qui/05/20
como fazer um fluxo de caixa

Aprenda como fazer um fluxo de caixa perfeito

O fato de manter as contas em dia é um fator fundamental para a saúde financeira de todo empreendimento, possibilitando o planejamento de uma gestão empresarial eficiente. Para isso, é preciso saber como fazer um fluxo de caixa eficiente.

Essa prática é uma das mais relevantes dentro da gestão financeira das organizações. A partir dela, é possível não só visualizar a movimentação atual como também projetar resultados futuros.

Por conta da dificuldade que muitos empreendedores encontram nessa administração, decidimos trazer neste artigo uma abordagem prática e completa sobre como fazer um fluxo de caixa. Vamos lá?

Qual a real importância do fluxo de caixa?

O fluxo de caixa nada mais é do que o maior instrumento de controle financeiro para monitorar as movimentações de uma empresa por meio da contabilização de entradas (receitas) e saídas (despesas).

Quando o empresário perde o controle dessas transações, o empreendimento tende a enfrentar turbulências, como:

  • dificuldades no pagamento de fornecedores;
  • atrasos no pagamento parcelado;
  • falta de visão completa sobre a saúde financeira da empresa;
  • famosos apertos no final do mês;
  • sacrifícios dos sócios;
  • pedido de empréstimos ou financiamentos.

Com um bom fluxo de caixa estabelecido é possível garantir um melhor gerenciamento dos gastos, trabalhando com base em cálculos exatos e não em suposições.

Como fazer um fluxo de caixa na prática?

Essa verdadeira ferramenta de gestão pode ser realizada de formas variadas. O avanço da tecnologia permitiu a evolução de uma gama de ferramentas de controle financeiro, mas há quem utilize planilhas e até anotações manuais (o que é menos recomendado).

Empresários que estão começando costumam contar com uma saída mais ágil, contando com planilhas. A curto prazo, trabalhar com ferramentas como o Excel pode ser uma opção interessante, antes da adoção de algum software de controle.

Para isso, o gestor deverá estar atento aos seguintes parâmetros:

Saídas

Separar as saídas deve ser o primeiro passo a ser dado. Elas podem ser divididas entre:

  • fornecedores: tudo o que é gasto com seus fornecedores;
  • despesas: gastos ligados à administração, como: correio, telefone, internet, etc.;
  • outras despesas: pagamentos de tributos, amortização de empréstimos e investimentos.

Entradas

Na hora de calcular as entradas, especifique o que você recebe com suas vendas e/ou prestação de serviços. O ideal é que esse preenchimento seja feito diariamente.

Calculando o resultado do período

O fluxo de caixa possibilita a verificação do resultado entre períodos, como por dia, semanas, meses e anos. Para isso, basta somar todas as entradas e diminuir todas as saídas.

Indicamos a planilha do Sebrae para ajudar você nessa organização das contas. Baixe a planilha do fluxo de caixa com um clique aqui.

Inserindo as informações necessárias com disciplina, é possível obter uma estrutura gerencial de resultados, o que abre caminho para uma análise de sensibilidade apurada. Desse modo, você poderá calcular a rentabilidade e a lucratividade do seu negócio.

Viu como essa prática é simples e importante? Agora que você sabe como fazer um fluxo de caixa, que tal aprender a cortar os gastos na empresa de maneira eficiente?

Facebook Comments

Sobre Osmar Lopes

Osmar Lopes
Osmar Lopes, atualmente CEO na empresa o Rei das Alianças, criou o blog O Sócio com o desejo de compartilhar experiências vitoriosas sobre como transformar um negócio praticamente falido em sucesso absoluto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *