seg/06/20

Marketing olfativo: qual é cheiro da sua marca?

Você provavelmente já deve ter percebido que determinados aromas são capazes de trazer lembranças e emoções de volta, não é mesmo? Isso acontece porque o olfato é capaz de registrar na memória sensações marcantes ao longo da vida. O marketing olfativo se aproveita dessa capacidade para fidelizar clientes.

Por mais que pareça um recurso muito abstrato, é possível criar laços emocionais entre clientes e marcas mediante o uso do aroma certo. No post de hoje, vamos falar um pouco sobre como essa ferramenta pode ser útil para o seu negócio. Continue lendo!

O que é o marketing olfativo?

O marketing olfativo é uma estratégia baseada na aromatização de ambientes e produtos com o objetivo de criar uma experiência sensorial com a atração do cliente pela marca.

Com grande capacidade de se lembrar daquilo que cheira, o ser humano pode guardar a lembrança de 10.000 aromas distintos. Comparada com a memória visual (que só registra uma média de 200 cores), essa característica pode ser aproveitada na construção de estratégias de marketing.

A verdade é que a maioria dos aromas que inspiramos um aroma vai direto para a memória, graças a uma ativação cerebral. Por sua vez, o marketing olfativo estuda possibilidade de transformar esse cheiro em um mecanismo capaz de ativar o desejo da compra de maneira instantânea.

Se você acha que essa teoria parece surreal demais para ser levada a sério, está na hora de pensar fora da caixa. Aliás, esse recurso é utilizado pela maioria das lojas em shopping centers.

Como consumidores, muitas vezes somos atraídos até as lojas e compramos sem perceber a contribuição do aroma. Depois de algum tempo, caso venhamos a sentir o cheiro novamente, nosso cérebro é rápido em trazer a memória da compra. Se a experiência com o produto ou serviço foi positiva, você desejará vivenciar isso de novo.

Consegue perceber como o olfato tem o poder de se relacionar com a memória e despertar emoções? Esse é o sentido com maior força de evocação e, por isso, o marketing olfativo não se restringe apenas às lojas.

Ele pode funcionar como um grande aliado em inúmeros ambientes de trabalho, centros de negócio ou escolas… Qualquer lugar onde haja a necessidade de se estabelecer um ambiente que potencie o rendimento das pessoas e o afeto pela marca.

Como esse estudo começou?

Foi nos anos 70 que o aroma começou a ser notado com um olhar marqueteiro. Isso porque os donos de diversos cassinos em Las Vegas descobriram que havia um cheiro específico capaz de manter o funcionamento das casas de apostas por mais tempo.

Desse modo, as empresas norte-americanas são as grandes precursoras dessa ferramenta de atração. Somente duas décadas depois, a estratégia de espalhar um cheiro específico chegou ao Brasil, mais estritamente em supermercados.

As primeiras utilizações do marketing olfativo consciente, em terreno brasileiro, foram por meio de empresários que buscaram atrelar os aromas aos departamentos com menos movimentação.

De 2000 em diante, essa metodologia prática tomou força no Brasil sendo replicada por muitas grifes, mercados de luxo e, consequentemente, um incontável número de empresas que decidiram apostar no poder da identificação de marca pelo cheiro, inclusive pequenos negócios.

Quais são as demandas do mercado?

A produção de uma fragrância exclusiva para uma marca ou produto depende de uma série de fatores estudados com cautela.

Uma loja com roupas para bebês exige uma fragrância bem suave. Já um estabelecimento voltado para o público masculino, jovem e aventureiro requer um aroma mais forte e, talvez, amadeirado. Uma lavanderia pede um perfume atrelado à limpeza. E por aí vai…

Em primeiro lugar, as metas da empresa e o perfil do cliente são analisados por meio de um briefing com o cliente. Informações sobre o mercado e o segmento de atuação são levantadas, em um processo de construção da experiência aromática.

Depois que os objetivos da organização são definidos, o levantamento de dados é enviado para as casas de fragrância, verdadeiros laboratórios onde são feitos todos os testes até o resultado final.

As maiores demandas de marketing olfativo giram em torno da aromatização de ambientes de lugares variados, onde os gestores buscam fidelizar clientes.

Como apostar no marketing olfativo?

Você sabia que empresas de grande porte, espalhadas pelo mundo inteiro, investem milhares para identificar e reproduzir os cheiros específicos capazes de se fixar melhor na mente do cliente? Afinal, quanto melhor você ativar o desejo de compra, mais chances terá, certo?

É por isso que todo carro em zero quilômetros tem o mesmo cheiro. Esse aroma não tem nada a ver com coincidência e, sim, com a aposta em uma fragrância que já foi identificada como positiva graças a muito investimento em especialistas do assunto.

Se você deseja apostar no marketing olfativo para criar uma experiência sensorial com seus clientes, precisará escolher um aroma específico ou universal.

Caso opte pela criação de uma fragrância personalizada, esteja pronto para compartilhar o máximo possível sobre suas estratégias atuais de posicionamento da marca com os desenvolvedores.

Mais do que ninguém, você deve ser a principal pessoa a conhecer a marca e o tipo de atmosfera onde os clientes se se relacionam com ela para, por fim, ter a certeza de qual é o contexto em que ela é consumida.

Clientes não possuem a mesma percepção sobre as empresas. Por isso, não é possível transmitir a mesma mensagem para todos eles por meio de uma única fragrância.

Sendo assim, o marketing olfativo é uma ferramenta que precisa ser vista como um investimento em estudo, uma vez que se propõe a definir amostras cada vez mais assertivas de consumidores, em busca de resultados quantificados.

Oportunidades no mercado de Marketing Olfativo

Um avaliador de fragrância tem a responsabilidade de identificar e desenvolver o aroma ideal para uma demanda específica, transmitindo a mensagem desejada.

Para quem tem interesse em trabalhar nesse mercado, ou até mesmo procurar empresas para desenvolver um projeto em parceria, é importante saber que há escassez de especialistas no Brasil.

Tanto na área do desenvolvimento de fragrâncias quanto na produção de cosméticos, o cenário é de falta de profissionais e centros de estudo. A formação específica é praticamente nula e as empresas já solidificadas do ramo costumam preparar os seus profissionais internamente.

Gostou de saber como marketing olfativo pode ajudar sua empresa a criar laços emocionais com os seus clientes? Então visite nosso post sobre 7 dicas de como inovar seu negócio e voltar a vender.

Facebook Comments

Sobre Osmar Lopes

Osmar Lopes
Osmar Lopes, atualmente CEO na empresa o Rei das Alianças, criou o blog O Sócio com o desejo de compartilhar experiências vitoriosas sobre como transformar um negócio praticamente falido em sucesso absoluto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *