seg/11/19
Notícias de Última Hora
empreen

Não seja uma cópia. Tome cuidado com benchmarking

Necessitados de uma referência para saber por onde começar, muitos empresários apostam no benchmarking e criam suas empresas com base na concorrência.

O que acontece é que, sem o conhecimento da técnica, é muito comum perceber empreendedores tão atrelados à imagem do concorrente copiado que não conseguem dar originalidade a sua própria marca.

Ficar o tempo inteiro na cola do concorrente é um perigo muito grande que pode comprometer sua empresa pela falta de um diferencial competitivo.

Até que ponto o pasto do concorrente está sempre mais verde? Se a crise chegar para ele, sua empresa sobreviverá ou cairá também? Já parou para refletir sobre essas questões?

Neste artigo vamos falar sobre os cuidados necessários com o benchmarking, para que ele não se torne um problema em seu negócio. Confira!

Mas o que é benchmarking?

O benchmarking é estratégia muito relevante e popular para aumentar a eficiência da empresa com base em pontos de referência. Essa metodologia se baseia na boa e velha pesquisa da concorrência permitindo que gestores façam comparações não só de produtos e serviços, mas também de práticas empresariais utilizadas pelos concorrentes.

Por sua vez, essa pesquisa não é superficial e muito menos amadora. Trata-se de uma análise aprofundada, muitas vezes com liberação do próprio concorrente (sim, essa prática é comum se você focar em empresas grandes) em busca de absorver características gerenciais e operacionais.

Quem pensa que o benchmarking é não passa de uma imitação da concorrência está bem enganado. Esse método é um objeto de estudo que virou tendência global, aprimorando aquela observação e comparação que todo empresário já faz, muitas vezes sem conhecimento de técnicas aprimoradas.

Quais são os tipos de benchmarking?

Benchmarking interno: procura as melhores práticas dentro da própria empresa;

Benchmarking competitivo: analisa o comportamento da concorrência e exige cuidado e técnica para se obter o resultado de empresas que querem manter seus segredos;

Benchmarking funcional: compara o processo de trabalho entre as empresas, mesmo que sejam de segmentos distintos;

Benchmarking de cooperação: funciona por meio de uma parceria entre duas empresas que decidem compartilhar dados sobre o fluxo de seus processos.

O benchmarking cooperativo é também comum entre empresas modelos que decidem revelar o funcionamento de alguns processos para o aprendizado de outra do mesmo ramo seja por se abrir para outra líder de mercado ou por motivos de prestígio e notoriedade.

Copiar uma empresa pode ser perigoso?

Sim! Apesar do benchmarking ser uma ferramenta para melhorar as práticas da sua empresa ou projeto, o seu mal uso pode resultar em problemas terríveis como a perda de identidade e compartilhamento de prejuízos, desperdiçando seu tempo, esforço e dinheiro.

Uma das maiores desvantagens do benchmarking mal aplicado é incapacidade de adequar as metodologias da empresa concorrente ao contexto da sua empresa.

Copiar um sistema sem repensar as estratégias da empresa e a relevância dos métodos pode ser um problema difícil de ser resolvido, que atingirá mais pessoas e processos do que você imagina.

O excesso de foco na concorrência tende a fazer com que você fique cego para oportunidades dentro do seu próprio negócio, fazendo a empresa perder sua essência. Por isso, ainda que você esteja começando seu empreendimento, tenha cuidado. Se quiser aplicar o benchmarking, faça isso com objetivos claros, sabendo onde parar.

Busque estudar sobre essa prática para descobrir quais ferramentas usar e quais métricas merecem ser acompanhadas. Enquanto analisa uma empresa de sucesso, você ficará de frente para ótimas ideias, mas que ainda não se adequam à realidade atual da sua instituição.

A melhor forma de lidar com esse balanço é buscar disciplina para focar naquilo que promete trazer um retorno concreto no curto ou longo prazo.

Lembre-se que seus recursos têm limites e isso faz com que você coloque as lutas em uma balança, decidindo o que encarar primeiro. Se você quer que sua empresa seja vista com originalidade, mas ainda não sabe como tornar isso possível, preparamos algumas dicas que vão te ajudar a manter a autenticidade. Continue acompanhando!

Como ter uma empresa original?

Reconheça sua originalidade como pessoa

A primeira coisa que você deve fazer é esquecer sua empresa e pensar em si mesmo, como pessoa. Você é original. Ninguém vê as coisas com o seu ponto de vista, mesmo que existam pessoas parecidas.

Sua empresa precisa refletir isso. Você tem uma mente que produz ideias. Elas podem ter referências em coisas que você já vivenciou, mas isso não faz com que elas partam de você. Por isso, são originais.

Não deixe que as ideias que dão vida ao seu negócio tenham raízes em outros empresários, mas em você. Faça

Querer ter uma empresa única e destacada não é problema nenhum, desde que você seja apaixonado pelas atividade principal do negócio. Isso aumentará as chances de que os diferenciais da organização ressaltem de maneira orgânica e apreciável.

Trabalhe com o que você ama

Como mencionamos acima, ter amor pelo que você faz é mais importante do que querer parecer único. Quando você trabalha com aquilo que te dá prazer, você injeta mais esperança e energia em seu negócio, motivando sua equipe e carregando uma visão forte.

Não há dúvidas de que esse efeito será passado para aquilo que a sua empresa se presta a oferecer. Assim, seus clientes, parceiros e fornecedores apreciarão os resultados e valorizarão a sua marca.

Confie no seu negócio

Aplicar o benchmarking é importante e pode trazer resultados incríveis quando bem aplicado. No entanto, nada pode ser mais eficiente do que sua confiança nas próprias ideias.

Confie no seu negócio mesmo em momentos mais complicados, quando as contas encerram no vermelho e não há muita perspectiva no ar. Nenhuma equipe acreditará na sua empresa se você não for o primeiro a demonstrar confiança.

Às vezes, comparar sua empresa à concorrência pode dar errado. Tudo depende do que você vai analisar e de quais os contextos comparados. Se você trabalha com o que ama e tem um sonho de ver sua empresa crescer, aprenda a confiar.

Esteja aberto para críticas

De nada adiantará acreditar tanto em si em seu negócio se você não estiver aberto para ouvir a opinião dos outros e desenvolver um pensamento crítico.

A excelência é um estágio para quem ser humilde, reconhecer os próprios erros e dar a volta por cima. Portanto, tenha ouvidos voltado para pessoas de confiança que respondam sobre sua empresa com vozes críticas.

Saiba filtrar as opiniões e interpretá-las por vários pontos de vista. O sucesso mora perto de empresários que agem assim.

Se o nosso artigo sobre benchmarking foi importante para você, torne-o relevante para outras pessoas compartilhando o conteúdo em suas redes sociais!

Facebook Comments

Sobre Osmar Lopes

Osmar Lopes
Osmar Lopes, atualmente CEO na empresa o Rei das Alianças, criou o blog O Sócio com o desejo de compartilhar experiências vitoriosas sobre como transformar um negócio praticamente falido em sucesso absoluto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *